Publicada no British Journal of Nutrition, esta pesquisa revelou que o maior consumo de vegetais crucíferos (as brássicas): brócolis, couves (manteiga, flor e de Bruxelas), além dos repolhos, estão associados a vasos sanguíneos mais saudáveis em mulheres da terceira idade.

A doença dos vasos sanguíneos é uma condição que afeta nossas artérias, vasos e veias; e pode reduzir o fluxo de sangue que circula pelo organismo.

Usando dados de um corte de 684 mulheres de maior idade da Austrália Ocidental recrutadas em 1998, pesquisadores da Escola de Ciências Médicas e da Saúde da ECU e da Universidade da Austrália Ocidental descobriram que aquelas com uma dieta composta por mais vegetais crucíferos tinham uma chance menor de ter um grande acúmulo de cálcio na aorta, um marcador chave para doenças estruturais dos vasos sanguíneos.

Essa redução no fluxo sanguíneo pode ser devido ao acúmulo de depósitos gordurosos de cálcio nas paredes internas dos vasos sanguíneos, como a aorta. Esse acúmulo de depósitos gordurosos de cálcio é a principal causa de ataque cardíaco ou derrame.

Brócolis e couve de Bruxelas um corte acima

A pesquisadora principal, Dra. Lauren Blekkenhorst comenta: havia algo intrigante sobre os vegetais crucíferos e que este estudo lançou mais luz.

“Em nossos estudos anteriores, identificamos que aquelas pessoas que consumiam com maior frequência esses vegetais tinham risco reduzido de ter um evento clínico de doença cardiovascular, como um ataque cardíaco ou derrame, mas não tínhamos certeza do por que”, disse ela.

“Nossas descobertas deste novo estudo fornecem uma
visão sobre os mecanismos potenciais envolvidos.”

“Descobrimos agora que mulheres de idade mais avançada que consomem grandes quantidades de vegetais crucíferos todos os dias têm menor probabilidade de ter calcificação extensa na aorta”, disse ela.

Um constituinte particular encontrado abundantemente em vegetais crucíferos é a Vitamina K, que pode estar envolvida na inibição do processo de calcificação que ocorre em nossos vasos sanguíneos.

Adquira o hábito de consumir uma porção de verduras diariamente

O Dr. Blekkenhorst disse que as mulheres que participaram deste estudo que consumiram mais de 45 gramas de vegetais crucíferos todos os dias (por exemplo, ¼ xícara de brócolis cozido no vapor ou ½ xícara de repolho cru) tiveram 46% menos probabilidade de ter um grande acúmulo de cálcio em sua aorta em comparação com aqueles que consomem pouco ou nenhum vegetal crucífero todos os dias.

Pitaco Conceição Trucom: para as pessoas com alguma patologia da tireoide é fundamental que estas crucíferas estejam cozidas ou fermentadas, se desejam praticar um consumo diário. Na forma crua sugiro uma frequência de somente 2 vezes/semana… Mais que isso, o indicado é na forma cozida (no vapor já é válido) ou na forma fermentada (cozimento biológico).

“Isso não quer dizer que os únicos vegetais que devemos comer são brócolis, repolho e couve de Bruxelas. Devemos comer uma grande variedade de vegetais todos os dias para uma boa saúde e bem-estar geral.” afirma ele.

O Dr. Blekkenhorst disse que a equipe do estudo ficou muito grata a essas mulheres da Austrália Ocidental, sem as quais essas descobertas importantes não estariam disponíveis agora para outras pessoas. Embora de natureza observacional, este estudo é importantíssimo para o progresso da saúde humana.

Pesquisa bem-vinda pela Heart Foundation

A Gerente de Alimentos e Nutrição da Heart Foundation, Beth Meertens, disse que as descobertas são promissoras e que a Heart Foundation gostaria de ver mais pesquisas nesta área.

“Este estudo fornece informações valiosas sobre como esse grupo de vegetais pode contribuir para a saúde de nossas artérias e, em última análise, nosso coração”, disse a Sra. Meertens.

“As doenças cardíacas são a principal causa de morte na Austrália e uma dieta pobre é responsável pela maior proporção da carga das doenças cardíacas, respondendo por 65,5% do total das doenças cardíacas”.

“A Heart Foundation recomenda incluir pelo menos cinco porções de vegetais na dieta diariamente, junto com frutas e os outros nutrientes habituais de cada pessoa incluindo também óleos saudáveis ​​encontrados em nozes e sementes. Infelizmente, mais de 90% dos adultos (australianos) não seguem este tipo de dieta”.

Fonte: Doce Limão